vivadança 2018  > mostra baiana de dança contemporânea

mostra baiana de dança contemporânea 2018

Desde 2015 o VIVADANÇA destaca em sua programação um panorama da recente produção baiana em dança contemporânea. A ideia é construir um espaço de exibição desta produção para para o público local, bem como aproximá-la de curadores e diretores de festivais nacionais e internacionais que acompanham a programação do VIVADANÇA. Em conjunto com a Rodada de Negócios, a Mostra Baiana de Dança Contemporânea (MBDC) vem promovendo para circulação da dança baiana em diversos estados do Brasil. Este ano a Mostra inaugura a categoria estreia, que abrirá espaço para espetáculos inéditos de coreógrafos ou grupos baianos que desejem estrear dentro da MBDC.  Em 2018 a Mostra Baiana recebe os espetáculos: “Missa do sétimo dia”, de Guego Anunciação; “Janelas para navegar mundos”, do Coletivo Trippé; “Salão”, da Casa4; e a estreia do espetáculo “Estio”, do Nii | Colaboratorio. A curadoria 2018 por composta por Dejalmir Melo, Janahina Cavalcante e Ludmila Pimentel.

Confira as informações sobre os espetáculos

ESTIO

Uma dança-delírio em pergunta ou resposta ao futuro. Estio é, antes de tudo, rastro. Um esforço de continuidade sem respostas claras, mas que enxerga no encontro a potência para permanecer. De março de 2017 a janeiro de 2018, o Nii/Colaboratório realizou uma série de práticas compartilhadas de investigação estética e criativa em dança. A esse programa nomeamos Pesquisa de Linguagem Coreográfica*. Este ano, desejando sintetizar aspectos desses encontros num arranjo cênico, encontramos no Vivadança Festival Internacional a possibilidade de realização, e que agora faz possível esta estreia, em mais uma parceria que fortalece as produções de artistas locais. O que agora se apresenta como obra “Estio” é um vislumbre do que surge destes esforços conjuntos.

SOBRE Nii Colaboratório

Nii | Colaboratório​ é um ambiente de parcerias artísticas, inicialmente idealizado como uma plataforma que reúne um grupo de artistas e produtores de dança, articulando-os com diversas linguagens da arte, a fim de desenvolver ações criativas, formativas, de pesquisa e de difusão.

ficha técnica

Direção Coreográfica: Neemias Santana Assistência de criação: Melissa Figueiredo Dramaturgista: Alana Falcão Elenco: Camila Carvalho, Joely Silva, Melissa Figueiredo e Ruan Wills Concepção de Figurino: Carol Diniz Concepção de Luz: Márcio Nonato Produção: Rodrigo Figueiredo 

CONTATO: contato@niicolab.com

MISSA DE SÉTIMO DIA

O tráfico de negros escravizados durou 400 anos e terminou oficialmente na segunda metade do século XIX. Em pleno século XXI, ainda vemos a população negra sendo marginalizada e morta, e essa morte sistemática de jovens negros no Brasil é uma realidade que estampam capas de noticiários dentro e fora do país. O espetáculo nascido em 2017 através do edital de experimentação artística, foi apresentado em curta temporada no Teatro do Movimento, e no Congresso UFBA 2017, tendo também sido selecionado para o Festac, com apresentação no Teatro Gregório de Mattos, seguido de bate papo sobre o processo de criação da obra.

SOBRE Guego Anunciação

Guego Anunciação é bacharel em artes, licenciado e especialista em Dança pela Universidade Federal da Bahia. Atua como bailarino, professor, coreógrafo e pesquisador de dança. Tem formação em balé clássico, fez residência artística com Idan Cohen (Israel) e Vladimir Rodriguez (Colômbia) e participa de diversas montagens como bailarino e criador na cidade de Salvador.

ficha técnica

Concepção/Intérprete: Guego Anunciação
Trilha Sonora: Paola Vasquez
Iluminação: Leonardo Santos

CONTATO:

SALÃO

Amor, breguice e viadagem conduzem o ‘dois pra lá, dois pra cá’ de Salão, primeiro espetáculo do Coletivo Casa 4. Com direção de Leandro de Oliveira, este trabalho busca romper com os estereótipos de gênero que tradicionalmente envolvem as danças de salão e excluem outras possibilidades de dançar a dois. Em cena, o close é garantido pelos corpos viados dos intérpretes-criadores Alisson George, Guilherme Fraga, Jônatas Raine, Marcelo Galvão e do bailarino convidado Ruan Wills.

ficha técnica

Direção: Leandro de Oliveira Assistente de direção: Bárbara Barbará Intérpretes-criadores: Alisson George , Guilherme Fraga, Jônatas Raine e Marcelo Galvão Bailarino intérprete: Ruan Wills Figurino: Diego Solon Cenário, fotografia e bondage: Davi Celuque Iluminação: Leonardo Santos Designer: Diego Moreno Produção: Marcelo Galvão Assistente de Produção: Marcelo Costa Assessoria de comunicação: Guilherme Fraga e Rafael Veloso

SOBRE Coletivo Casa 4

Casa 4 é um projeto artístico-político-coreográfico que surge das inquietações de um grupo de amigos gays, dançarinos e com experiência nas danças de salão. Para além de um jeito tradicional de dançar a dois, o Casa 4 busca compreender esta linguagem nos corpos de seus intérpretes-criadores: corpos viados, afeminados, fechativos, brutos e mais um bocado de coisa. Seu lançamento público aconteceu em setembro de 2017 com a realização um café performático no Instituto Goethe (ICBA) Em novembro do mesmo ano, o Casa 4 estreou Salão, atingindo um público aproximado de 500 pessoas em cinco apresentações. Em 2018, o coletivo foi selecionado para apresentar este trabalho nos Festivais Abriu Dança na Bahia e VIVADANÇA, além de integrar a programação do I Congresso de Dança de Salão Contemporânea (MG) como grupo convidado.

CONTATO:

JANELAS PARA NAVEGAR MUNDOS

O que acontece quando nos permitimos olhar? Contemplar o mundo em seus pequenos detalhes é momento de entendimento, de amplitude, de também se enxergar. Após um mergulho nas correntezas que são as palavras dos poetas da ribeira do São Francisco,entregamos em cena o que ficou úmido nos corpos que se propõem poéticos, nesse doce desejo de ser dança. Rasgos, memórias, nuvens, cheiros e um pouco mais do que até então nos habita deságua agora nessas janelas para que você trace sua própria rota de navegação. Viajemos!

SOBRE Coletivo Trippé

O Coletivo Trippé é um espaço que une desejos em comum, vontade de ser cena e afetividade entre corpos. Criado em 2011 com a união de novos criadores do forte movimento que transborda na ribeira do São Francisco, além de espetáculos, também vem investindo em projetos de pesquisa, produção de mostras e experimentações nas áreas de intervenções e performances.

ficha técnica

Direção, coreografias e cenografia: Adriano Alves Intérpretes criadores: Wagner Damasceno, Regiane Nascimento, Rafaedna Brito e Julia Gondim Assistente de direção e maquiagem: Fernanda Barboza Preparação corporal: Cíntia Melo Criação de iluminação: Carlos Tiago Direção musical e trilha sonora original: Eugênio Cruz Caracterização (figurinos e máscaras): Diego Ravelli Produção: PIPA (Nilzete Miranda)

CONTATO:

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.
logo-vivadanca-100px

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

VIVADANÇA Festival Internacional