espetáculos > dois pontos

Dois Pontos

Celui qui tombe (Aquele que cai)

de Yoan Bourgeois (França) | 14 anos
ESTREIA 1º de maio 2021 (sábado)
disponível por 48h

SINOPSE

“Dois pontos” é a celebração do encontro das nossas naturezas e da relatividade das distâncias. É açude, cachoeira, é rio e mar. E as emoções que tomam conta de nós; líquidas; que fluem, afluem, lavam, benzem, encharcam e ocupam os espaços, graças ao poder de adaptar.

O trabalho nasce de um jogo de compartilhamento de experiências nos cenários naturais que fazem parte da identidade dos artistas.

FICHA TÉCNICA

Concepção, interpretação e edição: Christiano Castro e Mirela França 

Trilha sonora: Clean Soul by Kevin MacLeod 

Captação de imagem: Christiano Castro, Maria das Graças França, Mirian Pinheiro e Mirela França

Finalização: Mirela França

LICENÇA TRILHA –  https://filmmusic.io/standard-license

doispontos3

BIOGRAFIA DOS REALIZADORES

Mirela França

Estudou ballet na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e é formada em Design de Moda pela Universidade Veiga de Almeida-RJ. Desde 2009 trabalha profissionalmente com dança em companhias brasileiras e projetos independentes, tendo integrado a Cia Brasileira de Ballet (RJ) e Cia Sesc de Dança (MG) e performado em diversos teatros do Brasil e do mundo – em países como China, Israel e Estados Unidos. Em sua carreira, teve a oportunidade de dançar obras de coreógrafos renomados como Uwe Scholz, Dudude, Fernanda Lippi, Henrique Rodovalho, Mário Nascimento, Alex Soares e Cassi Abranches. Atua como intérprete, coreógrafa e figurinista. Atualmente exerce o cargo de bailarina no Balé Teatro Castro Alves-BA, onde criou as obras “Baía” e “Cria”. Atualmente está matriculada como aluna especial no Mestrado Profissional em Dança da UFBA. Interessa-se pelas formas de mover, pelo trânsito entre as artes e pela conversa do criar com o viver.

 

Christiano Castro

Bailarino, coreógrafo e professor formado pelo Centro de formação artística – CEFAR. Integrou o Ballet Jovem Palácio das artes (atual Ballet Jovem Minas Gerais – BJMG). Como artista independente desenvolve seus trabalhos autorais, participa de diferentes projetos além de receber convites para dançar em companhias como o Quorum Ballet – Portugal. Atualmente faz parte da Companhia de Dança Palácio das Artes, participando de todos os projetos como bailarino co-criador desde 2014. Em 2020 recebeu o prêmio de melhor Composição Coreográfica pelo 6° Prêmio Copasa SINPARC dentro do projeto US4 – BJMG.

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

logo-vivadanca-100px

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

2021 – Festival Vivadança