espetáculos > colapso

Colapso

Celui qui tombe (Aquele que cai)

de Yoan Bourgeois (França) | 14 anos
ESTREIA 1º de maio 2021 (sábado)
disponível por 48h

SINOPSE

Num cenário pós apocalíptico, duas mulheres pretas resistem numa cidade fantasma onde poucas pessoas conseguiram sobreviver após uma pandemia global, onde o governo utilizou desta ferramenta para dizimar os povos pretos e indígenas. Agora com mais da metade da população morta elas guardam anotações sobre as formas de vigilância dos governantes, assim como, lutas corporais que aprenderam com seus antepassados e medicinas naturais; como uso da argila para rituais de cura. A pesquisa se embasa nos desequilíbrios das relações geopolíticas, onde poucos têm muito e muitos quase nada. Colapso trata dos estados corporais de corpos desequilibrados que buscam se alinhar em meio ao caos.

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Sauane Costa e Sauara Costa
Assistência de roteiro: Robson Ribeiro
Filmagem: Andréa Costa
Intérpretes/Criadoras: Sauane Costa e Sauara Costa
Produção: Felipe Cardoso
Edição e Montagem: Aniel Soares e Sauara Costa
Músicas: YouTube classificadas com “No Copyright”

Colapso 1

BIOGRAFIAS

Sauara Costa, residente do município de Candeias-BA. Iniciou a dança em 2014 Na ONG Alvorecer Bahia participando de aulas e montagem de espetáculos como: “Vontade de Chorar” e “Primavera” apresentados também no município. No mesmo ano inicia seu trabalho na Cia. Cenas e Bailados com a montagem do espetáculo de dança “Suicídio Anacrônico” este em 2017 financiado pelo Edital Setorial de Dança da Bahia. No ano seguinte, 2015, entra pra FUNCEB. A partir desse ano começa a participar de diversos trabalhos como intérprete, Intérprete/Criadora e diretora artística de trabalhos como: A Superfície, TEIMA, Ecdise, Sobre/a/Carga, entre outros. Movimenta a cidade culturalmente/artisticamente promovendo eventos de dança como aulas e espetáculos, batalhas de rima, rodas de capoeira Angola, entre outros. Atualmente faz um trabalho de arte-educação com crianças da comunidade onde mora, atua na dança como pesquisadora audiovisual e a dança intuitiva, praticante da Capoeira Angola e teatro de rua com o coletivo SANAI.

 

Fui batizada Sauane Costa, nascida em Santo Amaro, crescida e criada em Candeias Bahia. A partir de 2014 iniciei os estudos em dança contemporânea na ONG Alvorecer Bahia, depois passei a fazer parte da cia Cenas&Bailados até 2017, em 2016 entrei na escola de dança FUNCEB Fundação Cultural do Estado da Bahia, realizei trabalhos de Resisdência Artística em 2017 pelo Viva Dança no tabalho “Corpo, carga, Calma, Alma” com Ben J. Riepe e em 2020 também pelo Viva Dança e com a companhia do Ben J. Riepe com a obra “Medo/Angst” incluindo intercâmbio artístico por dois meses em Düsseldorf,
Alemanha; atualmente faço parte da SANAI Coletivo (saúde natural integral), grupo de artes integradas que pesquisa a cultura popular, realiza confecção de livretos, dança, cinema, música, arte de rua marginalizada e de protesto, além de práticas de redução de danos através da alimentação.

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

logo-vivadanca-100px

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

2021 – Festival Vivadança