espetáculos > branda remontagem

Branda Remontagem

Celui qui tombe (Aquele que cai)

de Yoan Bourgeois (França) | 14 anos
ESTREIA 1º de maio 2021 (sábado)
disponível por 48h

SINOPSE

Somente mulheres. Eu, você, nós. A dor sofrida em algum momento das nossas vidas se torna o impulso para descobrirmos o melhor de nós mesmas.
REVOLTA-DOR-FORÇA-MULHER-MÍSTICO-INTERIOR-EXTERIOR-BASE. Existe um lado que você não conhece ainda… Nem ela mesma.


BRANDA traz em questão a violência contra a mulher em diversos níveis: físicos, morais e emocionais. BRANDA aborda o assédio, estupro, violência doméstica e tantas outras situações que as silenciam, inferiorizam, culpabilizam e como essas marcas se enraízam e se tornam um elemento de resistência e força para sobreviver a essa realidade tão comum e próxima de nós mulheres. BRANDA- Remontagem transforma o espetáculo de dança numa perspectiva do audiovisual, reunindo mulheres de locais, realidades e vivências diferentes que escolheram com coragem usar seus corpos para falar sobre um tema tão recorrente e contínuo na vida das mulheres, especificamente quando retrata as próprias dores em movimento expondo e as ressignificando artisticamente. A situação de confinamento fez os números de violência aumentar consideravelmente, trazendo a remontagem como potência necessária para ser discutida, visto que as performances foram gravadas dentro da casa das próprias dançarinas.

vlcsnap-2021-04-17-15h55m02s618
vlcsnap-2021-04-17-15h57m02s967

FICHA TÉCNICA

Direção, roteiro, produção e coreografia: Talita Melo Captação de imagem, som e edição: Negada Produções Design de Som: Talita Melo Pintura Corporal: Edlene Melo Mapa de Luz: Natyele Santos Intérpretes-criadoras: Anastácia Xuanke, Lenine Guevara, Larissa Vitória, Meirejane Lima e Paola Vásquez Produção Executiva: Jão Nogueira

BIOGRAFIA DAS REALIZADORAS

Talita Melo – Diretora e coreógrafa | Artista da dança. Coreógrafa, multiplicadora, dançarina e produtora cultural. Formada no Curso Profissional Técnico de Nível Médio em Dança pela Escola de Dança da Funceb e Assistente de Coreografia pelo Pronatec. Foi assistente de produção cultural como estagiária no FILTE nos anos de 2016 e 2017. Intérprete-criadora do solo “Deixe-me Ir” apresentado na Mostra Sesc de Artes (Aldeia Pelourinho), Mostra de Solos Pralemdilá em 2018, e III Liquidificador Mídias no Teatro Vila Velha em 2019. Diretora do espetáculo Branda, apresentado no Teatro Sesc Senac Pelourinho, Teatro Martim Gonçalves e Escola de Dança da UFBA, nos anos de 2018 a 2019. Idealizadora e intérprete-criadora do curta-metragem Ânsia, realizado pelo Coletivo Negada Produções apresentado no FESTAC Bahia Ano 5. Idealizadora e diretora do projeto BRANDA- Remontagem, aprovado no Prêmio das Artes Jorge Portugal – via Lei Aldir Blanc. Dançarina na ExperimentandoNus Cia de Dança e Cia Baile.

 

Larissa Vitória – Intérprete-criadora | É artista da dança, poeta e multiplicadora de arte. Técnica em dança pela Escola de Dança da Fundação Cultura do Estado da Bahia; Licenciada em Dança pela Universidade Federal da Bahia. Atua como dançarina desde 2010, começando sua trajetória no Balé da Comunidade, em Cajazeiras. Participou de duas cias de dança em Salvador, Corpo Sísmico (2014 a 2015) e Laterita (2017 a 2018), atuando também em diversos trabalhos artísticos na cidade. Intérprete-criadora do Espetáculo Branda; integrante do Coletivo Bote Fé, coletivo artístico empreendedor, que visa a valorização de culturas negras, populares e periféricas, com ênfase no Pagode Baiano.

 

Paola Vásquez – Intérprete-criadora | É licenciada em Dança e bacharel em Produção Cultural, ambas, pela Universidade Federal da Bahia e dançarina profissional com Técnico em Dança pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) . Como dançarina participou de Festivais Internacionais como o VivaDança (2017 e 2018) e Festival de La Ciudad (Colômbia, 2018). Trabalha com Dança Contemporânea e é especializada e Professora de Dança do Ventre nas Escola de Dança da Ufba e Funceb. Atualmente é integrante do Balé Jovem de Salvador, dirigido por Matias Santiago e do Coletivo Dendear, dirigido por Ariana Andrade e é professora de Artes do Colégio Estadual Rocha Pita (Aratuípe, BA).

 

Meirejane Lima – Intérprete-criadora | É dançarina e Produtora Cultural Meirejane Lima, 33 anos, vive e trabalha em Salvador. Estudou no Curso de Educação Profissional Técnico em Dança na Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Cursando licenciatura em Teatro na UNEB, Campus Senhor do Bonfim. Como Arte-Educadora e Professora de Dança, trabalhou em Escolas Municipais pelo projeto Mais Educação, 2014 à 2015. Em 2016, integrou as performances do Projeto Tela Viva, realizado no Palácio Rio Branco, através do Edital Arte em Toda Parte III da Fundação Gregório de Mattos. Como Produtora Cultural, trabalhou nos Projetos: Tribal Connected ll, no Teatro Gamboa Nova (2016) e Mostra Tela Viva #2, na Escola de Dança da FUNCEB 2017. É umas das autoras, Coordenadora e Produtora do Projeto #DançaEmMovimentobahia, desenvolvido na Escola de Dança da FUNCEB em 2017.

 

Lenine Guevara – Intérprete-criadora | É ativista da cultura, docente, performer e preparadora de elenco. Residente em Salvador há 10 anos, atua prioritariamente em coletivos nas interfaces artísticas para a rua, nas cênicas e no audiovisual. É mestra e doutora em Artes Cênicas (PPGAC-UFBA), professora da Escola de Dança da FUNCEB e assessora do Gabinete onde atua junto à Vereadora Maria Marighella.

 

Anastácia Xuanke – Intérprete-criadora | Filha de Maria Regina e Juarez, é uma catarina em busca de sua dança pelo mundo. Iniciou seus passos dançantes através da Capoeira, que a apresentou ao Universo da Cultura e Danças Populares, sua grande paixão. Formada técnica em dança pela FUNCEB e Mestre em Educação pela UFBA, foi bailarina da ExperimentandoNUS Cia (Salvador, BA) de Dança por 3 anos. Integra os coletivos “Sutaque” de Danças Populares e “Branda” de dança contemporânea. Coreografou o espetáculo “REVERSO” em 2018, voltado às danças populares e questões sociopolíticas. Hoje é integrante da Cia Passos e Ladeiras (Olinda, PE) e Professora do Carvalho Studio de Dança (Recife, PE). É brincante-pesquisadora independente voltada às danças populares brasileiras.

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

logo-vivadanca-100px

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança e da diversidade em movimento. Ao longo de 13 anos de história, o festival coloca a Bahia na rota de eventos calendarizados promovendo ricos diálogos e intercâmbios culturais.

2021 – Festival Vivadança