Borderline



BORDERLINE - TAOUFIQ IZEDDIOU (2020)

Marrocos

SERVIÇO

08/05

20h

Stage Pluss

disponível por 48h

SINOPSE

Borderlines evoca a noção de fronteira, em todos os sentidos da palavra. O autor confessa referir-se aos muros e outros obstáculos destinados a impedir a migração de pessoas – o muro entre os Estados Unidos e o México, o muro erguido entre Israel e os territórios ocupados, o muro que, há pouco tempo, dividiu a Alemanha, dentro outros. A palavra pode também assumir um sentido mais amplo, psicológico, espiritual, filosófico. Um dos transtornos de personalidade listados no século 19 pela psiquiatria foi descrito na América como limítrofe, ou seja, “à beira da loucura”. Taoufiq Izeddiou continua a explorar as fronteiras que a sociedade impõe ao nosso corpo. Borderlines (fronteiras) giram em torno de um trabalho de pesquisa sobre a noção de “checkpoint”, esses pontos de passagem ou bloqueios, esses pontos de tensão visíveis e materializados pelo fronteiras, mas que o corpo também internaliza. Migrações possíveis e bloqueadas, migrações de corpos, imaginações, técnicas, ideias, o propósito coreográfico desenvolve-se em várias escalas: na ocupação do espaço, na travessia das paredes, na interrogação do grupo e na relação com o outro, na partilha e a apropriação de um espaço que suscita tensões, impedimentos e conflitos. 

Sobre Taoufiq

Taoufiq Izeddiou é um coreógrafo marroquino comprometido e militante, fundador e diretor de Festival de dança “On Marche” em Marrakech há 12 anos. Sua crença é que todos podem dançar, independentemente da origem, tamanho ou idade.

 

Além de dançarino excepcional, Taoufiq Izeddiou é parceiro do Teatro Jean-Vilar. Deve-se dizer que Taoufiq Izeddiou luta, como um leão, para desenvolver o acesso dos jovens à cultura, em Marrocos, e que sente seriamente que tudo o que fez até agora é inútil: “Temos a sensação de que não somos apreciados em Marrocos. Não temos absolutamente nenhuma ajuda, nem emprego. Por vários meses os jovens estão aguentando, mas quantos jovens dançarinos vai acabar em call centers?”

 

E, no entanto, as coreografias de Taoufiq foram bem recebidas na África, Oriente Médio, Europa, América Latina e América do Norte, nos eventos e lugares mais populares de dança contemporânea como Danse Afrique Danse, Montpellier Danse, Charleroi Dança, os Encontros Coreográficos Internacionais de Seine-StDenis, o CND de Paris, Tanzquartier de Viena, Trans Americas no Canadá.

FICHA TÉCNICA

Chorégraphie: Taoufiq Izeddiou

Interprétation: Moad Haddadi, Mohamed Lamqayssi, Chourouk El Mahati, Hassan Oumzili 

Création sonore: Saïd Ait Elmoumen 

Crédit photo ©: Sandra Lynn Bélanger

 
regua-de-marcas-vivadanca1024_C